Associação Brasileira de Brangus
Login:   Senha:  
  história
  diretoria
  sócios
  técnicos
  interatividade
  transparência
  fale conosco
  comunicados
  rank
  catálogo
  genealogia
  trocar a senha
  denúncias
             reclamações
  artigos técnicos
  Revista Brangus
  clima
  eventos
  notícias Brangus
  notícias RSS
  download
  fotos
  vídeos


Matéria atualizada 31/05/2016

Sistema de integração triplica produção de arrobas por hectare

Um projeto executado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), quer triplicar a produção de arrobas por hectares por meio do sistema de Integração Lavoura-Pecuária e Floresta (ILPF).

As pesquisas ocorrem há cinco anos e as primeiras avaliações mostram que a produção no sistema de integração foi de 20 arrobas por hectare ao ano, três vezes mais que a produtividade média no estado.

“A grande vantagem do ILPF é você conseguir implantar os reflexos da adubação da lavoura após a colheita na produção de forragens, sem que o componente "arbóreo" prejudique com o sombreamento e reduza a produção de forragens no sistema como um todo”, analisou o pesquisador da Embrapa Agrosilvipastoril, Bruno Pedreira.

Ao longo de 12 meses, o sistema ILPF produziu 18 toneladas de matéria seca por ano, enquanto que a pecuária tradicional registrou apenas 11 toneladas. No período das águas, o ganho médio de peso dos animais foii de 510 gramas por dia, ou seja, 50% a mais em relação à pecuária extensiva.

“De maneira geral, a gente se preocupa sempre em utilizar gramíneas que são fáceis depois na dessecação e no plantio da soja na sequência para facilitar o plantio direto. Aqui em Sinop (MT), nos campus experimentais, nós trabalhamos com a brizantha marandu, mas nós temos também a brizantha piatã, a brizantha paiagus, então, se você vai trabalhar com alternância, as braquiárias são uma boa possibilidade”, falou Pedreira.

Além de aumentar a produtividade por hectare, o sistema ILPF também ajuda a reduzir os impactos ambientais, com a redução de gases de efeito estufa e a recuperação de áreas degradadas. “Temos observados também dados relacionados a redução do escoamento superficial de água ,ou seja, isso contribui para uma maior infiltração da água no solo.

Então, o solo passa a reter mais água dentro do sistema e isso evita, por exemplo, erosivos”, disse Eduardo Matos, chefe de pesquisa da Embrapa Agrosilvipastoril Atualmente, o estado de Mato Grosso possui 750 mil hectares com sistemas integrados.

A maioria das áreas alterna ciclos pecuários e agricultura. Para Bruno Pedreira, a falta de mão de obra qualificada ainda dificulta a expansão dessas áreas. “É necessário ter gente capacitada e que entenda não só de árvores, de grãos ou de bois, mas sim de cada um dos componentes e das suas interações para que o sistema seja aditivo, e não negativo, quando a gente o faz de maneira conjunta”, falou.

Fonte: CNA e Rural Centro


Mais Notícias
Seleção Brangus CRW faz R$ 9,6 mil para touros e R$ 4,8 mil para matrizes em Lavras do Sul
Touro S487 Supremacia contratado pela CRV Lagoa alcançou a valorização de R$ 34,5 mil
Brangus domina oferta do Tellechea Associados
Entre exemplares pretos e vermelhos, raça respondeu por mais de 81% e 87% da receita do remate
São Bibiano mantém tradição na pista de Uruguaiana
Remate promovido por Antonio Bastos Filho é um dos mais antigos da primavera gaúcha
Sem Fronteiras reúne quarteto de criatórios gaúchos
Rincon del Sarandy, Corticeira, Soldera e Ave Maria venderam Angus e Brangus pela TV
Cabanha Umbu mantém tradição em praça gaúcha
Criatório negociou produção de touros e fêmeas Angus e Brangus em Uruguaiana
Selo Racial com destaque para touros Braford e Brangus
Raças sintéticas Braford e Brangus surpreendem positivamente na comercialização, assim como a participação de novos investidores do Brasil Central
 
 
Redes Sociais :
Rua Piratininga, 908 Jardim dos Estados
Campo Grande, MS - CEP: 79020-240 - Fone: (67) 3321-1316
developed by