Associação Brasileira de Brangus
Login:   Senha:  
  história
  diretoria
  sócios
  técnicos
  interatividade
  transparência
  fale conosco
  comunicados
  rank
  catálogo
  genealogia
  trocar a senha
  denúncias
             reclamações
  artigos técnicos
  Revista Brangus
  clima
  eventos
  notícias Brangus
  notícias RSS
  download
  fotos
  vídeos


Matéria atualizada 04/08/2016

Abertura para carne brasileira preocupa grupos dos Estados Unidos

Criadores de bovinos protestam contra acordo bilateral em meio a queda nos preços internos

Grupos de saúde pública e do setor de carne dos EUA continuam preocupados com possíveis riscos associados à abertura do mercado do país à carne bovina in natura do Brasil, apesar de o governo norte-americano ter garantido que o sistema de segurança alimentar que regula exportadores brasileiros é "equivalente" ao dos EUA. A Associação Nacional de Carne Bovina dos EUA, com sede em Washington, diz que ainda não viu uma avaliação abrangente sobre os riscos de saúde animal no Brasil."Não podemos colocar em perigo nossos rebanhos (...) antes que todos os riscos à saúde animal e segurança alimentar tenham sido abordados adequadamente", disse o presidente da associação, Tracy Brunner.Ainda há dúvidas quanto à capacidade do sistema regulatório do Brasil de garantir que o produto do País é seguro, disse Tony Corbo, lobista do Food and Water Watch, grupo que defende alimentação saudável.Segundo o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), no entanto, o Brasil melhorou o controle sanitário em sua indústria de processamento de carne bovina, que agora atende aos padrões norte-americanos.Alguns criadores dos EUA, que já vêm enfrentando dificuldades por causa da queda de 15% nos preços domésticos de gado em 2016, também protestaram contra a abertura do mercado norte-americano à carne in natura do Brasil.HabilitaçãoO Ministério da Agricultura informou que os frigoríficos interessados em exportar carne bovina in natura para os Estados Unidos deverão pedir habilitação à Pasta. Para tanto, essas indústrias precisam ter o Selo de Inspeção Federal (SIF). A abertura do comércio bilateral do produto foi formalizada pelos governos brasileiro e norte-americano na última segunda-feira, dia 1º, no Palácio do Planalto.Em nota, o Ministério diz que verificará se a empresa cumpre os requisitos sanitários exigidos pelas autoridades americanas. Caso as normas estejam de acordo, o ministério indicará o estabelecimento aos EUA que dará o aval à importação da carne bovina in natura, com base no acordo de equivalência, após homologação em seu site.Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO


Mais Notícias
Seleção Brangus CRW faz R$ 9,6 mil para touros e R$ 4,8 mil para matrizes em Lavras do Sul
Touro S487 Supremacia contratado pela CRV Lagoa alcançou a valorização de R$ 34,5 mil
Brangus domina oferta do Tellechea Associados
Entre exemplares pretos e vermelhos, raça respondeu por mais de 81% e 87% da receita do remate
São Bibiano mantém tradição na pista de Uruguaiana
Remate promovido por Antonio Bastos Filho é um dos mais antigos da primavera gaúcha
Sem Fronteiras reúne quarteto de criatórios gaúchos
Rincon del Sarandy, Corticeira, Soldera e Ave Maria venderam Angus e Brangus pela TV
Cabanha Umbu mantém tradição em praça gaúcha
Criatório negociou produção de touros e fêmeas Angus e Brangus em Uruguaiana
Selo Racial com destaque para touros Braford e Brangus
Raças sintéticas Braford e Brangus surpreendem positivamente na comercialização, assim como a participação de novos investidores do Brasil Central
 
 
Redes Sociais :
Rua Piratininga, 908 Jardim dos Estados
Campo Grande, MS - CEP: 79020-240 - Fone: (67) 3321-1316
developed by