Associação Brasileira de Brangus
Login:   Senha:  
  história
  diretoria
  sócios
  técnicos
  interatividade
  fale conosco
  comunicados
  rank
  catálogo
  genealogia
  trocar a senha
  denúncias
             reclamações
  artigos técnicos
  Revista Brangus
  clima
  eventos
  notícias Brangus
  notícias RSS
  download
  fotos
  vídeos


Matéria atualizada 30/08/2016

Brasil diversifica exportações para a Turquia

A partir de agora, país pode embarcar, além de animais para engorda, bovinos destinados ao abate

Nesta segunda-feira, 29, Brasil e Turquia concluíram a negociação para o estabelecimento de protocolo sanitário específico para exportação de bovinos destinados ao abate imediato. Até o final do ano, a expectativa é embarcar 100 mil cabeças nessas condições.

O acordo é resultado de negociações entre o Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e as autoridades veterinárias turcas.

Segundo o Mapa, o protocolo é vantajoso para ambas as partes, porque exigirá um número menor de exames, além de reduzir o período de quarentena - o que diminui custos de produção. Outra vantagem é a tendência das exportações somarem maior valor agregado, dado que os animais embarcados deverão ser machos “terminados” com peso superior a 450 quilos.

O próximo passo agora é ampliar ainda mais o hall de produtos exportados. “O DSA está promovendo gestões junto ao Serviço Veterinário Turco para que o Brasil possa exportar produtos como embriões, sêmen e carne bovina”, diz Guilherme Marques, diretor do DSA.

Acordo para venda de gado de engorda - O acordo firmado no ano passado possibilitou ao Brasil retomar, em 2016, as exportações de bovinos para o mercado turco. De janeiro a junho deste ano, o país embarcou 86.005 cabeças para a Turquia, avaliadas em cerca de US$ 50 milhões.

O fechamento do acordo em 2015 foi comemorado pelo segmento exportador de gado, já que permitiu compensar as enormes perdas em decorrência da crise econômica Venezuela. Até o fim de 2014, o mercado venezuelano era o principal parceiro comercial do Brasil na compra de gado vivo, chegando a representar mais de 90% do total volume das exportações brasileiras.

A partir deste ano, a Turquia se consolidou como principal cliente brasileiro, tendo sido responsável pela importação de 61,8% dos bovinos exportados.

Fonte: Mapa


Mais Notícias
Leilão RPK Genética faz média de R$ 9.450 para touros Brangus
O criador Reno Paulo Kunz colocou em pista 93 exemplares selecionados em Dois Vizinhos
O Brangus é um grande parceiro do Nelore
Listamos as razões do crescimento do Brangus no Brasil, raça entrou pelo centro-oeste e tem conquistado muitos pecuaristas brasileiros
Fórmula localiza touros com mais rentabilidade
O Índice Bioeconômico de Carcaças (IBC), lançado pela Embrapa, identifica os touros capazes de gerar descendentes que produzam carne de alta
qualidade
Leilão GAP BRASIL faz R$ 9,5 mil para touros e R$ 3,2 mil para fêmeas
Genética Brangus para o Brasil foi a chamada do leilão e o mote do evento
Raça Brangus conquista seu espaço no mercado
Criada em 1912 nos EUA, através do cruzamento do Angus com o zebu, o Brangus alia a qualidade da carne, precocidade e acabamento da carcaça da raça taurina com a rusticidade e resistência da zebuína.
ABB e UFRGS assinam convênio de cooperação técnica
Acordo prevê atividades de pesquisa na área de tecnologia de imagens e transferência de material genético e equipamentos
 
 
Redes Sociais :
Rua Piratininga, 908 Jardim dos Estados
Campo Grande, MS - CEP: 79020-240 - Fone: (67) 3321-1316
developed by